Páginas

terça-feira, 22 de março de 2011

segunda-feira, 21 de março de 2011

Sinal da Cruz

Aqui está um material para auxiliar o ensinamento do Sinal da Cruz para as crianças.

Campanha da Fraternidade 2011

Abaixo estão duas sugestões de atividades que podem ser utilizadas para complementar o estudo da Campanha da Fraternidade pelas crianças.


quinta-feira, 17 de março de 2011

A Palavra de Deus


No silêncio,
No misterioso silêncio da terra e do céu,
Deus disse a Palavra
E tudo foi criado.
Deus disse…
E houve luz, firmamento iluminado
Pelas estrelas, pela lua e pelo sol…
Pela Palavra tudo foi criado
E a Palavra de Deus não mais se calou.
Voou entre os homens, pousou
Leve como neve, fresca como água,
Livre, luminosa, correu veloz
Anunciada pelos Profetas,
fonte de esperança
E mágoa.
Foi Lei, Revelação, Promessa…
No silêncio dos homens,
Deus compassivo falou…
Falou por Seu Filho, o Filho de Maria
Que foi “morada de Palavra anunciada”.
Jesus a Palavra de Deus
Que nos trouxe Deus, O revelou
E nos salvou na Esperança.
Que nos trouxe a graça e a verdade
E nos deu a Vida e a Eternidade.
Que fazer desta Palavra?
Que fazer desta Vida?
Procurá-Las e encontramos Deus…
Acreditar, acolher, anunciar,
Deixar o Espírito falar em nós…
Haverá o tempo do silêncio
E o tempo de sermos, de Deus, palavra e voz.

(Maria Luísa Vaz Freire)

A história de Noé

A Alice veio à janela
Com o cão e o gatinho
Dar de comer aos pardais
Que ali tinham feito ninho.

A Bíblia tem as histórias
De que a Alice gosta mais,
Como a história de Noé
Muito amigo de animais.

Naquele dia de chuva,
A Alice resolveu lê-la.
Mas logo ouviu de mansinho,
Alguém bater na janela.

Abriu, e um pombo correio
Na sua frente poisou
Com uma carta que a Alice,
Em voz alta, soletrou:

“Minha querida Amiguinha,
Onde gostavas de estar
Agora? Lê, que a leitura
Até lá te há-de levar.”

Olhando a capa do livro
Que segurava na mão,
A Alice viu-o acender-se
Como a sua televisão.

Viu, então um povo antigo
De pecadores perversos,
Que em vez de louvar a Deus,
Gritavam horríveis versos:

“Quem é que há tão mau assim?
Como nós não há ninguém!
Viva o mal! Abaixo o bem!
Descendemos de Caím:
Nosso mal já não tem fim
Pelos séculos ámen.”

Ao ver o que eles faziam,
O próprio Deus pensou, triste:
“Vou lavar a Terra inteira
Desse mal que nela existe”.
Mas a Noé e à família
Que tinham bom coração,
Mandou fazer uma arca
Para sua salvação.

Quando Noé finalmente,
O seu trabalho acabou,
Foi buscar os animais
Como o Senhor lhe mandou.

Juntou um macho e uma fêmea
De cada espécie animal:
Grandes, pequenos, selvagens,
Não faltou nenhum casal.

Todo o povo mau se ria
Pois o mar não estava perto
E Noé fizera a arca
Mesmo num lugar deserto.

Até parece que Deus,
Ao ouvir, chorou de mágoa
Pois deixou cair a chuva
Que inundou a Terra de água.

Ao fim de quarenta dias,
O deserto fez-se mar.
Mas Noé com a família,
Conseguiram escapar.

Casas, árvores, montanhas –
A água tudo cobria!
Deus lavava o mal da Terra,
Como disse que faria.

Só depois de quatro meses
Voltou o vento a soprar.
Então as águas baixaram
E começou a secar.

Sobre os montes de Ararat,
Enfim, a arca parava.
Noé soltou uma pomba
Para ver onde poisava.

Mas logo ela regressou
Sem terra ter encontrado
Soltou-a de novo, e trouxe
Um ramo recém-brotado.

Mandou-a mais uma vez,
Nunca mais apareceu
E Noé teve a certeza:
“A vida já renasceu”.

Deixou passar sete dias
Para a terra secar mais.
Depois, destrancou a arca
E soltou os animais.

Toda a família, feliz,
Acabada aquela prova,
Desceu com os animais
Para a terra agora nova.

Então, cada criatura,
A seu modo, agradecia
E louvava a Deus, saudando
A chegada desse dia.

Patos, lobos e girafas.
Burros, esquilos e ladinos,
E corujas, com voz diferente,
Cantavam os mesmos hinos.

Leões, porcos e pardais
Respondiam… E Noé,
Com toda a sua família
Deu graças a Deus com fé.

E Deus disse: - “Nunca mais
Darei esta maldição.
Sempre haverá dia e noite
Com Inverno e com Verão.”

E para nós nos lembrarmos
Dessa promessa de amor,
Deus fez brilhar o arco-íris
Cheio de luz e de cor.

A Alice fechou o livro
E disse: É mesmo verdade!
A história que agora li
Tornou-se realidade!

Quando por fim regressou
Daquela história, que leu,
Já não chovia… e brilhava
Um arco-íris no céu!

Ao ir para a catequese,
A Alice pôs-se a cantar
Ao Senhor, pela beleza
Do céu, da terra e do mar.

“Oh Senhor, muito obrigada
Por me trazeres nos braços
Como filha, e me livrares
Dos males e dos fracassos.

Com a história de Noé,
Aprendi esta lição:
Deus gosta de toda a Terra!
Vou amar a criação!”

autora: Alice Joyce Davidson

quarta-feira, 16 de março de 2011

Sejam bem-vindos!

Quaresma

Vida em abundância para todos (Melodia: Capelinha de melão - Primeira Parte)

1. Quando a missa chega ao fim, / não acaba não:
    Anunciar a boa nova / é nossa missão.
    Se houver miséria e fome, / dor e opressão,
    não se pode acomodar, / sem solução.

2. Sairemos bem unidos / para enfrentar
    os perigos deste mundo, / e evangelizar.
    Nossa meta é todo o povo / ao Senhor levar,
    e levar o Cristo ao povo / para libertar!

Refeição e Comunhão (Melodia: Marcha soldado, cabeça de papel)

1. Todos vão alegres / a uma diversão;
    no show de um artista / não falta aimação!

2. Missa é festa, / é festa do Senhor;
    a ele vamos juntos / louvar com muito amor!

3. Cantos e preces, / lovou e aclamação;
    vibrante deve ser / nosso participação!

4. Missa é banquete, / é comunicação;
    se houver ofensa e brigas, / não reina a comunhão.

A última ceia (Melodia: Ciranda, cirandinha)

1. Jesus no fim da vida / quis a ceia celebrar;
    e aos amigos reunidos, / um segredo revelar:
    "Es pão é meu corpo / que por vós entregarei;
    este vinho é meu sangue / que por vós derramarei".

2. Jesus quer que seu gesto / seja sempre atualizado,
   assim todos vão saber / que na cruz morreu pregado.
   Ele disse: "fazei isto / em memório do que eu fiz,
   quando o povo reunido, / em louvor a Deus bendiz".

3. O povo, ao celenbrar / a santa ceia de Jesus,
    é igual estar ao vivo / no Calvário, aos pés da cruz.
    A missa em nossos dias / realiza esta função:
    Tornar viva e atual / de Jesus a redenção.

Jesus Passou fazendo o bem (Melodia: Escravos de Jó jogavam caxangá)

1. Por todo lugar, / Jesus de Nazaré
    cura, ensina. / não deixa de amar.
    /:perdia os pecadores / e acolhe os que ten fé.:/

2. O povo unido, / em torno de Jesus,
    ouve, aprende / Palavra do Pai,
    /:mas eis que os pecadores / vão mandá-lo para a cruz!:/